Fábrica de Startups concretiza expansão internacional e inaugura sede no Brasil

A Fábrica de Startups inaugurou, este mês, a sua primeira sede no Brasil, mais propriamente em Porto Maravilha, Rio de Janeiro. Espera-se que sejam aceleradas 130 startups por ano, com uma faturação total de 50 milhões de reais (cerca de 11 milhões de euros).

Fábrica de Startups concretiza expansão internacional e inaugura sede no Brasil.JPG

É oficial. A Fábrica de Startups já tem sede no Brasil. A empresa, resultado de um investimento de cinco milhões de reais (cerca de um milhão de euros), ocupa um andar com 3.700 m², no Aqwa Corporate, em Porto Maravilha, Rio de Janeiro.

Com esta unidade, o CEO da Fábrica de Startups Brasil, Hector Gusmão, espera que sejam aceleradas 130 startups por ano, com uma faturação total de 50 milhões de reais (cerca de 11milhões de euros).

Hector Gusmão explica que a escolha do Rio de Janeiro, como sede da Fábrica de Startups Brasil, se deve ao potencial empreendedor da região que, segundo o mesmo, ainda não foi explorado o suficiente: “A cidade tem uma indústria criativa e um mercado espetacular. Todos os ingredientes estão no Rio de Janeiro. Faltava apoio para desenvolver tudo isso em negócio e nós propomos isso”, diz.

Para o CEO da Fábrica de Startups Brasil, a inauguração da Fábrica de Startups no Brasil representa um intenso intercâmbio de inovação e empreendedorismo entre os brasileiros e os portugueses: "Portugal vê no Brasil um ecossistema de startups bem desenvolvido. O Brasil, por sua vez, vê nesse irmão europeu um enorme mercado".

O Fundador e CEO da Fábrica de Startups Portugal, António Lucena de Faria, admite, inclusive, que esta é uma vontade que já vem de há muitos anos: “Desde o início que queríamos muito fomentar o intercâmbio dos empreendedores vindos do Brasil para Portugal e expandir as suas operações, depois, na Europa e no sentido inverso também”.

António Lucena de Faria explica, ainda, que a Fábrica de Startups começou a operar em Portugal numa altura de crise, para “ajudar as pessoas do nosso país a conseguirem avançar com os seus projetos empreendedores”, acrescentando que espera que o mesmo aconteça no Brasil, isto é, que a Fábrica de Startups possa contribuir “para o desenvolvimento económico do Brasil”.

Recorde-se que a Fábrica de Startups opera no Brasil desde 2017 e já acelerou mais de 40 negócios junto de grandes empresas, como a AmBev ou a Petrobras.